25/03/2022

TELMA VAI RECORRER À JUSTIÇA ELEITORAL CONTRA A DESESTATIZAÇÃO NO PORTO

A vereadora Telma de Souza (PT) afirma que a desestatização (privatização) da Santos Port Authority (antiga Codesp) em ano eleitoral é ilegal. 

Segundo ela, a Justiça Eleitoral será acionada no momento adequado para barrar o processo. “Privatização em ano eleitoral é ilegal”, disse Telma. 

Recorrer à Justiça Eleitoral será apenas um dos caminhos para barrar o retrocesso que é a “desestatização”, avaliou Telma, que participou de reunião com trabalhadores do setor no Sindaport, na noite da última terça-feira (23). 

Telma enumerou diversos desequilíbrios que a chamada desestatização vai trazer à Cidade de Santos e à economia regional. Entre eles, problemas nos repasses para o Portus, que é o fundo de previdência da companhia, e a supressão do cais público, o que é prejudicial a empregabilidade dos trabalhadores avulsos. 

“Tudo está interligado, com a precarização do trabalho e da empregabilidade, teremos reflexos em todos os setores da nossa economia”, afirmou Telma. 

O secretário-geral do Sindaport, Valdir Pfeifer, afirmou que os funcionários mais antigos da ex-Codesp devem ser os mais prejudicados no processo de “desestatização”. “Mas esses cortes devem atingir a todos. Se hoje são 1 mil funcionários, certamente numa empresa privatizada serão bem menos”, disse. 

Além dos trabalhadores, Telma ressaltou que o setor empresarial do Porto também deve ser impactado com aumento de tarifas e ambiente concorrencial desequilibrado, entre outras ameaças.  

Os portuários rechaçaram a “desestatização” durante o encontro e reclamaram da falta de discussão do projeto do governo Bolsonaro junto às categorias afetadas por um processo econômico dessa amplitude.

Leia também

CÂMARA APROVA OBRIGATORIEDADE DO TESTE DO CORAÇÃOZINHO

Ver mais

TELMA PROMOVE AUDIÊNCIA SOBRE JORNADA DE 30 HORAS SEMANAIS PARA A ENFERMAGEM

Ver mais

BANCO DE ALIMENTOS DE SANTOS PROPOSTO POR TELMA AVANÇA NA CÂMARA DE SANTOS

Ver mais