11/01/2019

TELMA SOLICITA SUSPENSÃO DO REAJUSTE DA TARIFA

A vereadora Telma de Souza (PT) encaminhou requerimento ao prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), nesta sexta-feira (11), solicitando a suspensão do reajuste da tarifa de transporte público no Município. O anúncio de aumento do preço da passagem, previsto para subir de R$ 4,05 para R$ 4,30 no próximo domingo (13), durante período de recesso parlamentar, pegou a população de surpresa. O tema não foi debatido com a sociedade e não passou pela Câmara Municipal.

O fato do reajuste apresentar percentuais de 6,2%, acima da inflação do período, que registrou 4,05%, deixou a parlamentar indignada. “A prática de liberar o aumento acima da inflação é recorrente. Em três anos, a tarifa deu um salto de R$ 3,25 para R$ 4,30. Somente em 2017 o reajuste foi de 18,4%. Do que se trata? Esses aumentos destoantes da realidade inflacionária já provocaram, inclusive, uma batalha jurídica. O preço da passagem é um peso no bolso do trabalhador, o maior prejudicado com uma medida como esta”, ressalta Telma.

Para conceder o reajuste, há justificativas como o valor do combustível, o pagamento do dissídio dos funcionários da empresa responsável pelo serviço de transporte público e o aumento de insumos, mas há dificuldade para comprovação de tais dados. 

Em maio do ano passado, durante a greve dos caminhoneiros, o Governo Federal definiu a redução no preço do combustível e a vereadora Telma apresentou requerimento propondo a redução do preço da tarifa, o que não ocorreu. Se não bastasse, o serviço de transporte público de Santos ainda apresenta problemas como longa espera nos pontos, superlotação das linhas nos horários de pico, oscilação negativa do wi-fi e a frota não é 100% climatizada. Além disso, o preço da passagem não justifica os trajetos reduzidos.

“No primeiro ano deste meu mandato no Legislativo, apresentei o Projeto de Lei 18/2017, exigindo a realização de audiências públicas antes do Executivo autorizar qualquer reajuste de tarifas na Cidade. O objetivo é dar mais transparência a todo processo”.

Telma cobrou o motivo do reajuste estar acima da inflação, a contrapartida prevista pela Administração Municipal, se houve aumento de peças e substituição da frota, a ausência de linhas extras em operação nos horários de pico e informações determinantes para o cálculo do valor da passagem, como o número de passageiros que utilizaram o serviço em 2017 e 2018, o percentual de reajuste no preço do combustível e o índice de reajuste salarial dos funcionários, além da quantidade de veículos climatizados.

Leia também

TELMA CRIA POLÍTICA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Ver mais

RETROCESSO NA POLÍTICA DE SAÚDE MENTAL É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA

Ver mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE CAVA SUBAQUÁTICA NESTA SEXTA (15/2)

Ver mais